Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

02/04
Soja retoma negócios pós feriado em Chicago com fôlego e trabalha com boas altas nesta 2ª feira

Soja retoma negócios pós feriado em Chicago com fôlego e trabalha com boas altas nesta 2ª feira

Os preços da soja negociados na Bolsa de Chicago voltaram do feriado da Páscoa com a mesma força com a qual terminaram a última semana e exibem boas altas na manhã desta segunda-feira (2). Graficamente, com o fechamento forte para março, o começo de um novo mês traz melhores expectativas neste início de abril.

Os principais vencimentos, por volta de 7h50 (horário de Brasília), subiam entre 10,75 e 13 pontos, com o maio/18 sendo negociado a US$ 10,57 por bushel.

Segundo explicam analistas da Allendale, Inc., o mercado ainda reage aos surpreendentes números de área que o USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos) trouxeram na última quinta-feira (29), ficando abaixo de todas as expectativas e também menores do que os da semana anterior.

Ainda de acordo com os especialistas internacionais, os traders deverão voltar suas atenções, portanto, cada vez mais à questão climática no Meio-Oeste americano, que será um dos principais direcionadores das cotações a partir de agora.

“O clima no Meio-Oeste americano continua como uma preocupação para os trabalhos de campo, que não devem avançara muito bem nestas próximas duas semanas. Algum progresso é esperado, mas o ritmo ainda deverá permanecer mais lento do que o normal”, diz a Allendale.

No entanto, afirmam ainda que “os participantes do mercado estão se questionando se os produtores americanos deixarão de plantar soja quando virem a cultura exibindo bons preços e boas chances de renda”, diz o boletim diário da consultoria.

Ainda no radar dos traders, segue também a guerra comercial entre China e Estados Unidos e o aumento da tensão entre os dois países dos últimos dias. Em retaliação às tarifas do presidente Donald Trump, a China impôs uma taxa de 25% sobre a carne suína americana. E a soja segue com um outro possível alvo.

De acordo com informações da Reuters internacional, “a China ainda está considerando cortes nas importações de soja dos EUA contra as tarifas impostas por Washington, conforme disse o diretor da Ásia do U.S. Soybean Export Council, Paul Burke, após uma reunião com o Ministério da Agricultura”.

Por: Carla Mendes
Fonte: Notícias Agrícolas