Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

14/08
Soja: Mercado em Chicago recua nesta 2ª feira e volta a focar o clima no Corn Belt

Soja: Mercado em Chicago recua nesta 2ª feira e volta a focar o clima no Corn Belt

A semana começa com novas baixas para os preços da soja na Bolsa de Chicago. Na sessão desta segunda-feira (14), por volta de 7h25 (horário de Brasília), os futuros da oleaginosa perdiam pouco mais de 9 pontos, com o novembro/17 já valendo US$ 9,35 por bushel.

Segudo explicam analistas, passado o nervosismo do mercado sobre os últimos números do USDA (Departamento de Agricultura dos Estados Unidos), o mercado deverá voltar seus olhos para o clima no Meio-Oeste e a para a conclusão da safra norte-americana, buscando conhecer sua realidade mais próxima.

“As discussões e a incredulidade nos números do Supply/demand do USDA, vão ficando para trás e a realidade sobre a safra logo será conhecida”, explica Ginaldo Sousa, diretor da Labhoro Corretora.

De acordo com informações apuradas pela emprea, o último final de semana nos EUA foi de chuvas apenas nas Dakotas e no Nebraska. Iowa ainda sofre com o clima seco, junto dos demais estados produtores neste momento. Por outro lado, as previsões que mostravam temperaturas mais amenas em todas as áreas de produção continuam se confirmando.

“O período essencial e de vital importância  para a definição  da safra de soja está ficando a cada dia mais curto e as lavouras estão indo para sua reta final de produção”, completa Sousa.

E nesta segunda, no final da tarde e após o fechamento do pregão em Chicago, o USDA traz seu novo boletim semanal de acompanhamento de safras. As expectativas da Labhoro indicam que o índice de lavouras em boas ou excelentes condições pode ficar entre estável e 1 poto percentual mais baixo. Os números chegam às 17h.

Atenção ainda aos números dos embarques semanais norte-americanos, os quais também chegam nesta segunda-feira. Na última quinta (10), o USDA trouxe um aumento para as exportações da safra 2016/17 para pouco mais de 58 milhões de toneladas.

Por: Carla Mendes

Fonte: Notícias Agrícolas