Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

18/06
Plano Safra: confira os recursos e taxas de juro da temporada 2019/2020

Plano Safra: confira os recursos e taxas de juro da temporada 2019/2020

O Plano Safra 2019/2020 foi anunciado nesta terça, dia 18, em Brasília.

Nesta temporada, o setor contará com R$ 225,59 bilhões. Desse total, R$ 222,74 bilhões são para crédito rural, sendo R$ 169,33 bilhões para custeio, comercialização e industrialização. Outros R$ 53,41 bilhões para investimento.

Juros para custeio, comercialização e industrialização

Agricultores que se enquadram no Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf)  terão taxas de juro entre 3% e 4,6% ao ano. Para pequenos (que estão fora do Pronaf) e médios, o índice é de 6% ao ano. Os demais terão juros de 8% ao ano.

Segundo a ministra da Agricultura, Tereza Cristina, pequenos e médios produtores foram prioridades do governo. “Pela primeira vez, o Tesouro Nacional disponibiliza mais recursos para subvenção do Pronaf do que para dos demais. São R$ 5 bilhões para equalizar juros, valor recorde”, disse.

Reajuste nos preços mínimos

De acordo com o Ministério da Agricultura, foram aprovados novos preços mínimos para a safra 2019/2020, com reajuste médio de 7% para os principais produtos. “Esses valores tiveram como referência os custos das lavouras, os preços nos mercados internacionais e a perspectiva das taxas de câmbio”, destaca a pasta.

Segundo o ministério, para 2020, o investimento programado para apoio à comercialização nas modalidades de aquisição direta do produtor, contratos de opção de venda e subvenção de preços é de R$ 1,85 bilhão.

Confira os preços mínimos:

Investimento

Segundo Tereza Cristina, o aumento nos recursos para investimento também atesta o compromisso do atual governo com o setor agropecuário. “Aumentam os recursos para a agricultura de baixo carbono (Plano ABC), programas de inovação, tecnologia, irrigação, correção de solo e produção de leite, suínos e aves”, diz. Veja os números!

Moderfrota

Total de recursos: R$ 9,690 bilhões

Limite de crédito por beneficiário: 85%

Prazo máximo para pagamento: 7 anos

Carência máxima: 14 meses

Taxas de juros: 8,5% a 10,5%

Moderagro

Total de recursos: R$ 1,2 bilhão

Limite de crédito por beneficiário: R$ 880 mil

Prazo máximo para pagamento: 10 anos

Carência máxima: 3 anos

Taxas de juros: 8%

Moderinfra

Total de recursos: 732 milhões

Limite de crédito por beneficiário: R$ 3,3 milhões

Prazo máximo para pagamento: 10

Carência máxima: 3

Taxas de juros: 8%

ABC

Total de recursos: R$ 2,096 bilhões

Limite de crédito por beneficiário: R$ 5 milhões

Prazo máximo para pagamento: 12 anos

Carência máxima: 8 anos

Taxas de juros: 5,25% e 7%

PCA

Total de recursos: R4 1,815 bilhão

Limite de crédito por beneficiário: não há

Prazo máximo para pagamento: 15 anos

Carência máxima: 3 anos

Taxas de juros de até: 6% a 7%

Inovagro

Total de recursos: R$ 1,5 bilhão

Limite de crédito por beneficiário: R$ 1,3 milhão

Prazo máximo para pagamento: 10 anos

Carência máxima: 3 anos

Taxas de juros de até: 7%

Prodecoop

Total de recursos: R$ 1,285 bilhão

Limite de crédito por beneficiário: R$ 150 milhões

Prazo máximo para pagamento: 10 anos

Carência máxima: 3 anos

Taxas de juros de até: 8%

Pronaf

Total de recursos: R$ 12,927 bilhões

Limite de crédito por beneficiário: R$ 165 mil

Prazo máximo para pagamento: 10 anos

Carência máxima: 3 anos

Taxas de juros de até: 3% e 4,6%

Pronamp

Total de recursos: R4 2,715 bilhões

Limite de crédito por beneficiário: R$ 430 mil

Prazo máximo para pagamento: 8 anos

Carência máxima: 3 anos

Taxas de juros de até: 7%

Fundos Constitucionais

Total de recursos: R$ 6,230 bilhão

Limite de crédito por beneficiário: não há

Prazo máximo para pagamento: 12 anos

Carência máxima: 3 aos

Taxas de juros de até: Taxa por porte

Bancos cooperativos

Total de recursos: R$ 600 milhões

Limite de crédito por beneficiário: R$ 450 mil

Prazo máximo para pagamento: 12 anos

Carência máxima: 3 anos

Taxas de juros de até: 8%

BNDES – Procap-Agro

Total de recursos: R$ 2,5 bilhões

Limite de crédito por beneficiário: R$ 65 milhões

Prazo máximo para pagamento: 2 anos

Carência máxima: 6 meses

Taxas de juros de até: Taxa de Juros de Longo Prazo+3,7%

BNDES – Prorenova

Total de recursos: R$ 1,5 bilhão

Limite de crédito por beneficiário: não há

Prazo máximo para pagamento: 6 anos

Carência máxima: 18 meses

Taxas de juros de até: Taxa de Juros de Longo Prazo+3,7%

BNDES – Agro

Total de recursos: R$ 2,5 bilhão

Limite de crédito por beneficiário: não há

Prazo máximo para pagamento: não há

Carência máxima: não há

Taxas de juros de até: Taxa de Juros de Longo Prazo+3,7%

BB – Investe Agro

Total de recursos: R$ 1 bilhão

Taxas de juros: Taxa de mercado

Juros livres

Total de recursos: R$ 5,125 bilhões

Taxas de juros: Taxa de mercado

Recorde no seguro rural

O Plano Safra 2019/2020 trouxe novidades para o seguro rural. Segundo o Ministério da Agricultura, o valor para subvencionar a contratação de apólices em todo o país será de R$ 1 bilhão. “Esse é o maior montante que o Programa de Subvenção ao Prêmio do Seguro Rural (PSR) já recebeu desde sua criação em 2004”, diz a pasta;

Com esse valor, cerca de 150,5 mil produtores rurais poderão ter a safra segurada. Devem ser contratadas 212,1 mil apólices, com a cobertura de 15,6 milhões de hectares e valor segurado de R$ 42 bilhões.

Em 2019, o orçamento é de R$ 440 milhões, com a contratação de 93,9 mil apólices, cobertura de 6,9 milhões de hectares e R$ 18,6 bilhões de valor segurado.

Garantia-Safra

O programa Garantia-Safra, que apoia os agricultores familiares de municípios com histórico de perda da safra por causa da seca ou excesso de chuvas, contará com R$ 468 milhões. O montante será divido em cotas e deve atender até 1,350 milhão de produtores.

Os beneficiados estão, principalmente, no Nordeste e no norte dos estados de Minas Gerais e Espírito Santo. O público-alvo é formado por agricultores com renda familiar mensal de no máximo 1,5 salário mínimo e que plantam de 0,6 a 5 hectares de feijão, milho, arroz, mandioca e algodão.

O valor é pago a eles quando o município onde moram comprovar perda de, pelo mesmo, 50% da produção agrícola. Atualmente, o benefício é de R$ 850, pago em cinco parcelas pela Caixa Econômica Federal.

Fonte: Canal Rural