Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

03/11
PIB Brasileiro apresenta queda no primeiro trimestre, mas o índice gerado pelo Agronegócio segue positivo

PIB Brasileiro apresenta queda no primeiro trimestre, mas o índice gerado pelo Agronegócio segue positivo

Mantendo a perspectiva de contribuição positiva para a formação do PIB nacional, o Agronegócio injetou um percentual de crescimento de 3,33%. No fechamento do dado, a queda do PIB, de modo geral, só não foi pior, graças a essa contribuição

Historicamente o Agronegócio segura as pontas da perspectiva de geração de riquezas, medidas pelo Produto Interno Bruto. Mesmo em épocas de incerteza e da crise gerada pelo coronavírus mundialmente, o Produto Interno Bruto (PIB) do agronegócio brasileiro cresceu 3,33% no primeiro trimestre de 2020, em relação ao mesmo período do ano passado quando apresentou crescimento tímido de 0,53% em todo o semestre. O dado divulgado na metade do ano é importante porque configura a perspectiva positiva do setor para o restante do ano e foi estimado segundo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) e pelo Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada (Cepea).
De acordo com a análise publicada pelo órgão “o estudo mostrou, de janeiro a março de 2020, elevações nos segmentos primário (5,85%), serviços (3,53%), agroindústria (1,41%) e insumos (0,43%).
Tanto a pecuária quanto a da agricultura tiveram crescimento no acumulado do primeiro trimestre, de 6,11% e 1,91%, respectivamente. No caso do ramo pecuário, “o resultado foi impulsionado pela alta dos preços dos diversos produtos, em um efeito inercial que começou no fim de 2019 e pela maior procura por proteínas animais no final do ano passado e no início de 2020. Essa inércia decorre tanto da elevação dos preços das carnes suína e bovina – resultado da demanda aquecida no mercado externo em decorrência da Peste Suína Africana (PSA) – como do reflexo dessa elevação nos preços das proteínas substitutas, como a carne de frango e os ovos”, explica o estudo.

Falando estritamente sobre o comportamento da agricultura, pode se afirmar segundo o estudo, que se trata de um “reflexo de preços mais elevados no primeiro trimestre deste ano em relação ao mesmo período de 2019, além das boas perspectivas para a safra atual. Quanto aos preços, destaque para café, arroz, milho, soja e trigo, além de alguns hortifrutícolas, como banana e tomate. Quanto à produção, as expectativas são muito positivas para produtos importantes no PIB, como café, soja, milho, algodão e laranja, entre outros”.
O Agronegócio foi o único setor em alta, considerando todos os setores que compõem a geração do dado. O acumulado negativo do Produto Interno Bruto, de maneira geral, foi de 1,5%.