Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

09/01
Minha Vida Cotrisoja

Minha Vida Cotrisoja

No final de 2015 a Cotrisoja ampliou a área de atuação, levando sua forma peculiar de se relacionar com associados, clientes e prestadores de serviços, nos municípios onde outra empresa atuava até então.

Inicial e praticamente as novidades ou situações estranhas sempre causam alguma preocupação, mesmo porque geralmente elas ainda são desconhecidas. Porém, a convivência supera o medo inicial, conquistando a confiança através do conhecimento. E assim aconteceu com a Cotrisoja em sua nova área de ação.

Em todos os novos municípios onde a Cotrisoja ingressou, muitas famílias abraçaram com alegria, confiança e esperança a chegada da Cooperativa. Em Quinze de Novembro e Santa Clara do Ingaí, não foi diferente. A família de Ildemar Spier foi uma das tantas que receberam com bons olhos a chegada da Cotrisoja porque já tinha alguma proximidade e conhecimento da forma de se relacionar com associados e clientes.

Ildemar Spier, fala desenvolta, alegre e de bom humor, afirma que “a presença da Cotrisoja é um fator importante para o desenvolvimento e crescimento do agricultor e da região. Ela traz retorno para quem com ela trabalha e negocia”.

Segundo Ildemar, “a propriedade trabalha com lavoura e gado de leite pra ter serviço a cada dia”. Ele avalia a assistência do Departamento Técnico em 100% “pela presença constante para dar orientação, oferecer as melhores alternativas, atitudes a serem tomadas e não apenas e somente para vender produto. Por outro lado, as entrevistas dos agrônomos no programa de rádio são importantes porque trazem muitos esclarecimentos aos agricultores”.

A família, Ildemar, a esposa Eli e o filho Márcio, reside neste local há dois anos, mas a história iniciou há mais de 100 anos quando o avô de Eli comprou dois lotes naquela região e os descendentes continuam a desenvolver a mesma atividade, recebendo herança material e cultural, inclusive a falar a língua alemã.

Márcio, 23 anos, trabalha com o pai e diz que “a Cooperativa não é empresa de favorecer somente um ou alguém, mas ela está voltada para todos os associados, diferente de empresas particulares”.
Márcio pretende ficar trabalhando na propriedade porque para ter uma boa renda na cidade precisa de tempo e investimento e nem sempre consegue onde trabalhar. A tecnologia hoje está presente no interior, inclusive na propriedade, trazendo os conhecimentos e informações necessárias.
Segundo Ildemar Spier, o sucesso da sua propriedade está em não se aprofundar em dívidas: “Não compro outra coisa antes de a anterior não estar paga”.