Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

08/11
Manejo e Controle de Plantas Daninhas na Cultura da SOJA

Manejo e Controle de Plantas Daninhas na Cultura da SOJA

Dentre as principais práticas de manejo na cultura da Soja, está o Controle de Plantas Daninhas, importantíssimo, pois protege a cultura de gastar energia competindo por nutrientes, luz e água, o que poderá interferir significativamente na produtividade final da lavoura.
Para obtermos sucesso no Controle de Plantas Daninhas na cultura da Soja, precisamos planejar um Manejo Integrado e Preventivo para controlar estas invasoras, iniciando com a utilização de Sementes Puras (bem classificadas) e programas de redução do banco de sementes de plantas daninhas na entressafra por meio da rotação e sucessão de culturas, para melhorarmos a cobertura do solo com mais palha, e por fim, com aplicações de herbicidas eficazes que atendam aos determinados objetivos.
No momento estamos com algumas lavouras com a primeira dessecação já realizada, ou sendo efetuada, para posteriormente estabelecermos a cultura da Soja. Para uma semeadura de Soja eficiente e tecnicamente correta, precisamos estar com a lavoura livre de plantas daninhas e com bastante palha, para que tenhamos um plantio direto consolidado, que nos traga inúmeros benefícios. A Soja na região de atuação da COTRISOJA, é o principal cultivo de verão e especialmente este ano, apresenta preços históricos, nos provocando para maiores investimentos, sendo um destes, o correto e eficiente Manejo e Controle de Plantas Daninhas.
Podemos dividir as Plantas Daninhas em dois grandes grupos, Folhas Largas e Folhas Estreitas, sendo as principais ocorrentes e problemas no verão, em nossa região, de difícil controle como as buvas e capins. Aumentando também a ocorrência de trapoerabas, capim-rabo-de-burro e poaias.
O Departamento Técnico da COTRISOJA recomenda que o controle de plantas daninhas seja antecipado com um manejo eficiente já na cultura antecessora (durante o inverno e primavera) e/ou com uma dessecação antecipada em 45 a 30 dias antes da implantação da cultura da Soja. Isso possibilita correções posteriores, de possíveis erros e/ou falhas de aplicações anteriores.
Posteriormente recomendamos efetuar, se necessário, mais uma dessecação pré-plantio, com herbicidas dessecantes, podendo utilizarmos junto a eles na mesma aplicação, em áreas bastante infestadas, herbicidas pré-emergentes, com o objetivo de controlarmos o primeiro fluxo de emergência de invasoras na cultura já implantada, evitando uma mato-competição inicial e retardando e/ou excluindo posteriores aplicações de herbicidas pós-emergentes.
A utilização de herbicidas pré-emergentes tem aumentado, pois trata-se de uma importante ferramenta que possibilita rotacionarmos ingredientes ativos e aumentarmos o período livre de mato-competição.
Depois de a lavoura estar implantada, poderão ocorrer novos fluxos de germinação de plantas daninhas e/ou ainda ficar sobras da dessecação, sendo necessário novo controle, agora em Pós-emergência da cultura. Neste caso devemos atentar para alguns pontos importantes, como herbicidas seletivos à cultura implantada, dose de acordo com a finalidade que se deseja, estágio de desenvolvimento da cultura e também da planta daninha, temperatura, luminosidade, vento e umidade do solo no momento da aplicação.
Para a cultura da Soja temos várias opções de herbicidas pós-emergentes seletivos, eficientes tanto no controle de Folhas Largas como também para o controle de Folhas Estreitas.
O Departamento Técnico da COTRISOJA está preparado para a melhor orientação em cada situação que o Produtor precisar. A Cooperativa dispõe de linha completa de herbicidas tanto dessecantes quanto seletivos (Pré e Pós-emergentes) para atender as diferentes necessidades, sempre priorizando recomendações seguras e voltadas para um melhor custo-benefício.