Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

18/09
Hipocalcemia

Hipocalcemia

Com o melhoramento genético dos últimos anos, é cada dia mais comum ocorrer casos de doenças de origem metabólicas devido a uma exigência nutricional muito grande nos primeiros dias de lactação, para suprir a uma alta produção de leite.
A hipocalcemia, , é uma alteração dos níveis sanguíneos de cálcio nos primeiros dias de lactação, com sintomas agudos de fraqueza generalizada, depressão, paralisia da musculatura, falta de capacidade do animal permanecer em pé e se, não tratada a tempo, pode levar a morte.

Quais os fatores que levam a redução dos níveis de Cálcio?

• Inicialmente a vaca libera cálcio para a formação do feto nos últimos 60 dias antes do parto;
• Ocorre a perda de cálcio no momento do parto pelas contrações uterinas;
• Durante a lactação ocorre grande liberação de Cálcio no colostro.

Por que ocorre a deficiência de cálcio nas vacas nos primeiros dias de lactação?

Porque esta vaca possui uma demanda de cálcio muito grande no parto e para a produção de colostro e a capacidade de absorção de cálcio pelos intestinos e dos ossos é reduzida; ocorre uma deficiência deste mineral no sistema sanguíneo causando a doença.

Como um manejo adequado pode reduzir ou evitar a doença?

Com alguns cuidados simples de manejo pode-se reduzir ou evitar a descalcificação.
• Não deixar a vaca seca por mais de 60 dias;
•  Evitar manter vacas muito velhas na propriedade, pois a cada parto é maior o índice de descalcificação;
•  Manejar a vaca para parir com um escore corporal de 3.0 a 3.5, pois vaca muito gorda possui mais chance de manifestar a doença;
• Retirar as vacas secas e novilhas das pastagens de aveia e azevém 30 dias antes do parto, pois esta pastagem reduzirá a absorção de Cálcio no pós-parto, além de causar edema de úbere e aumento no tamanho do terneiro.
• Dar ração Bovilactus Pré-Parto rica em sais aniônicos 21 dias antes do parto, para adaptar o rúmen e melhorar o funcionamento da paratireóide após o parto, reduzindo as a chances de dar hipocalcemia, cetose, retenção de placenta, acidose ruminal e outras doenças metabólicas no peri-parto;
• Não ordenhar totalmente as vacas nos primeiros 2 a 3 dias;
• Fornecer dietas com menor concentração de Cálcio e maior de Fósforo, 15 dias antes do parto (estimular o paratormônio); ou seja, sem pastagens de aveia e azevém e com a utilizando Ração Bovilactus Pré-Parto.

Quais os estágios manifestado em uma vaca descalcificada?

Fase inicial: o animal permanece em pé, reduz o apetite, se movimenta pouco e lentamente e começa andar cambaleando ou tremendo;
Fase de decúbito esternal: a vaca encontrasse deitada, geralmente com a cabeça voltada para o flanco, em casos menos graves tenta se levantar, não come;
Fase de decúbito lateral: a vaca encontrasse deitada de lado, a temperatura cai, há tremores musculares, diminui a frequência cardíaca e respiratória podendo levar o animal ao coma e a morte.
Qual é o tratamento em casos de descalcificação?

Sem o tratamento o animal não se recupera e pode morrer pelo timpanismo secundário ao decúbito lateral, portanto é importante assim que o produtor ver a vaca tentar posicionar ela em decúbito lateral (Sentada).O tratamento é baseado na aplicação endovenosa de cálcio, associado a corticoide, que tem como objetivo sua ação gliconeogênica de levar glicose ao fígado e aumentar a temperatura corporal, vitamina B12 (que é estimulante cardíaco), protetor hepático e cardíaco para melhorar a resposta do fígado e glicose que ajudam a tratar além da hipocalcemia, a cetose.
Pode ser usado vitamina A.D.E. aos 21 dias antes do parto e no parto, e 3 garrafas de Cálcio oral após o parto sendo 1 em cada ordenha.

Quais outras doenças de sintomas semelhantes que podem confundir o produtor?

A Mastite Ambiental por Escherichia coli que geralmente faz a vaca deitar-se pela septicemia, abertura de bacia devido a excesso de força no parto, cetose.

Conclui-se que para prevenção dessa doenças devemos ter uma atenção para novilhas e vacas secas. Isto se refere, sobretudo, ao manejo nutricional no pré-parto e no pós-parto, reduzindo assim a ocorrência de febre do leite, dos outros distúrbios a ela associados, além de outras enfermidades comuns neste período.

Juliano Camargo Preto

Médico Veterinário