Notícias Cotrisoja

Fique por dentro do que acontece no mercado agrícola regional, nacional e internacional

14/09
Ferrugem Linear no Trigo

Ferrugem Linear no Trigo

A cultura do trigo, tem por característica a alta incidência de doenças foliares, que podem ser causadas por virus, bactérias ou fungos, que devido a grandes variações nas condições climáticas podem atingir alta severidade e causar sérios danos a lavoura, atingindo assim a produtividade e lucratividade do empreendimento.
 
Desde setembro de 2020 a Embrapa Trigo, vem estudando e fazendo amostragens de diferentes locais do Rio Grande do Sul, com incidência dos mesmos sintomas, em distintas cultivares de lavouras comerciais, identificando como Ferrugem Linear do Trigo.
 
A ferrugem linear do trigo, também denominada de estriada ou amarela, é causada pelo fungo Puccinia striiformis f. sp. tritici. Caracteriza-se pela coloração amarelo-claro e distribuição das uredopústulas na folha, formando longas estrias lineares, paralelas às nervuras da folha. A temperatura ideal para germinação dos uredosporos é de 5°C a 15°C, mas desenvolvimento da doença é rápido com temperaturas entre 10°C e 15°C associado à chuva e orvalho contínuo. Essa condição ambiental favorece a ocorrência antecipada do patógeno durante a estação de cultivo, em comparação às outras duas ferrugens, da folha e do colmo, acarretando maiores danos econômicos. 
De forma geral, o monitoramento, é bem fácil, pois a observação do sinal da presença da ferrugem pode ser visto visualmente sem uso de equipamento.
 
O controle químico por meio de aplicação de fungicidas, deve ser realizado, assim que os primeiros sinais/sintomas da ferrugem linear aparecerem na lavoura, com os mesmos fungicidas indicados para controle da ferrugem da folha (mistura de triazol com estrobirulina).
 
Se você, produtor, está enfrentando este problema na sua lavoura de trigo, entre em contato com nosso Departamento Técnico Agronômico. 
 
Fonte: Embrapa Trigo